Semana do Meio Ambiente

postado em: 2014 | 0
0 Flares Twitter 0 Facebook 0 Filament.io 0 Flares ×

Instituto IA3 e seus parceiros – Juntos! Pela preservação do Meio Ambiente e pela disseminação de Atitudes Socialmente Responsáveis e Sustentáveis.

O consumismo desenfreado tem se alastrado pelo mundo e contribuído com a degradação do meio ambiente. À procura da satisfação imediata, muitas vezes o ser humano busca preencher um possível vazio interior por meio do prazer gerado na aquisição de bens, como roupas novas, computadores de última geração, telefones celulares e tantos outros produtos, sem ao menos avaliar os impactos sociais e ambientais que poderão ser causados.

Ouve-se falar em sustentabilidade, mas ainda não temos como avaliar o quanto o tema tem sido de fato educativo e esclarecedor a ponto de ser assimilado pela maioria da população. Isso porque não se nota nenhuma mudança de comportamento imediata, com o objetivo de reduzir o acelerado processo de consumo e descarte prematuro de bens.

Estima-se que o consumo seja de 20 a 25% maior do que a oferta de recursos naturais disponíveis. Isto significa que a população mundial consome mais do que o meio ambiente pode oferecer e, consequentemente, se não existirem medidas imediatas para diminuir este consumo, o planeta não mais poderá sustentar esta forma de vida.

Não se pretende com este artigo alterar a forma de viver das pessoas. Queremos convidá-las a rever atitudes diárias, deixando para trás uma postura passiva e adotando uma postura ativa dentro de duas perspectivas: OLHAR o quanto nossas ações HOJE irão refletir, impactar, não somente a nossa vida, mas a vida de nossos semelhantes seja no curto, no médio ou no longo prazo; e agir SEMPRE, vislumbrando garantir a manutenção, preservação e equilíbrio, seja de ordem emocional, social e ambiental.

Neste contexto, o CONSUMO CONSCIENTE, torna-se uma ferramenta benéfica para auxiliar na revisão de atitude e garantir a preservação do meio ambiente, sem sacrificar ou mudar radicalmente a vida das pessoas. Acreditamos ser este um dos pilares em direção de uma proposta de vida sustentável!

Alguém perguntaria: Mas o que o consumo consciente nos ensina? Como ele se relaciona com uma perspectiva sustentável?

O consumo consciente não determina que você não deva consumir, no entanto, defende que ao comprar ou fazer USO de bens de consumo, alimentos e recursos naturais, o faça sem exceder suas necessidades.

Você pode, por exemplo, adquirir produtos que tenham uma vida mais longa ou que sejam de fácil conserto. Fechar a torneira ao escovar os dentes – cada vez que sete pessoais escovam os dentes com a torneira fechada, economizam-se 122 litros de água tratada, o suficiente para suprir as necessidades diárias de uma criança – ou evitar jogar pilhas e baterias no lixo comum, já que isso significa riscos à saúde, poluem o solo e o lençol freático, são atitudes simples de serem adotadas.

A grande questão é aprender a discernir suas reais necessidades para viver uma vida saudável, buscando um padrão de consumo compatível com as capacidades do planeta. Este é um trabalho individual, de autoconhecimento que exige olhar e identificar o que é realmente necessário e o que é supérfluo.

Consciência – Apesar de ser um exercício individual, existem maneiras de ajudar e colaborar! É neste intuito que, desde 2010, o Instituto IA3 constitui o Projeto Cubo Ambiental, de Pindamonhangaba, desenvolve iniciativas de criação de consciência ambiental junto às crianças e adolescentes. Semanalmente, eles participam de oficinas de alfabetização ecológica, educação ambiental e atividades práticas de intervenção e revitalização de áreas degradadas, como incentivo ao consumo consciente e à prática da coleta seletiva.

Incentivadora de iniciativas voltadas à preservação do meio ambiente, a Novelis, líder mundial em laminados e reciclagem de alumínio,tem sido uma das patrocinadoras-âncora dos nossos projetos desde 2011. A empresa colabora para que ações educativas similares às que ocorrem com os jovens que residem nos bairros Vista Alegre, Feital, Cidade Nova, Jardim Regina, Jardim Eloyna, Campinas, entre outras comunidades do entorno de sua fábrica, sejam multiplicadas na rede de escolas públicas do município. Em 2014, a Novelis investirá mais de R$ 1 milhãoem iniciativas de responsabilidade social em Pindamonhangaba (SP), cujo foco de atuação está nas áreas de sustentabilidade, educação, esporte, cultura e cidadania.

A Novelis e a reciclagem

No País, a Empresa possui atividades de laminação em Pindamonhangaba e Santo André (SP), e também produz alumínio primário em Ouro Preto (MG). Para o negócio de reciclagem, a Novelis possui sete centros de coleta de sucata espalhados pelo Brasil e conta com o maior centro de reciclagem da América do Sul.

Em 2011, a Novelis estabeleceu uma visão audaciosa, que visa a reforçar a competitividade de seus negócios a longo prazo, por meio de sustentabilidade e inovação. No coração desta visão, encontra-se o objetivo de utilizar 80% de conteúdo reciclado em seus produtos até o ano de 2020. Com essa decisão, a empresa reduzirá em 50% o uso do carbono incorporado em seus processos produtivos.

Ações sustentáveis exigem coragem, revisão de todas as formas de consumo e processos industriais atuais. Assim como a Novelis teve que operacionalizar mudanças significativas em sua forma de produzir, definindo alta porcentagem de reaproveitamento de materiais como insumos e investindo financeiramente para atender a esta nova perspectiva sustentável, nós também podemos mudar o curso de nossas ações e decisões relacionadas ao ato de consumir.

A dica é utilizar a conhecida regra dos 3Rs: Pensar se o que você pretende comprar é realmente necessário – “Reduzir”; se você não pode suprir essa necessidade reutilizando algo que já tenha – “Reutilizar”; e após evitar consumir coisas desnecessárias e buscar reaproveitar outras, não se esquecer que quando o descarte for inevitável, devemos sempre “Reciclar”!

Abrace esta idéia! Cuidar do Meio Ambiente e do Planeta é um dever seu, meu, de todos nós.

GERDAU Instituto IA3 e Cooperativa Moreira César – MCR em prol de uma sociedade mais limpa!

As questões relacionadas ao descarte dos resíduos sólidos tem se tornado um grande desafio. De acordo com o IBGE, entre 1989 e 2000, a população brasileira cresceu cerca de 16%, enquanto a quantidade de lixo gerada pela população e direcionada aos aterros sanitários aumentou 56%.

Com o aumento da capacidade produtiva instalada, melhora da economia do País e aumento da renda per capita da população, corroborado pelo marketing agressivo das empresas, aumentou-se significativamente a aquisição de produtos de baixa durabilidade, promovendo o uso exagerado de produtos descartáveis e embalagens que, somados a outras variáveis contribuem para o aumento na geração de resíduos.

O descaso da sociedade em relação à problemática socioambiental, especialmente pelo alto volume de lixo gerado, combinado ao desperdício e despreparo generalizado das autoridades governamentais ao lidar com aspectos relacionados à gestão dos resíduos, tem se tornado um grande desafio para todos nós. Sem falar nas questões de ordem cultural que, muitas vezes, agem como uma anestesia e nos paralisam.

Já não é de hoje que existem inúmeros fóruns de discussão e políticas públicas em torno do tema, porém o futuro ainda é incerto ao buscar uma ação efetiva, que seja ecológica e economicamente viável a todos os envolvidos. Enquanto não se define uma ação efetiva, creditamos as poucas empresas socialmente responsáveis, alguns membros da sociedade civil e aos agentes ambientais, o mérito pelo pouco que se é feito nesta área.

Atualmente, entre 10% a 20% dos resíduos sólidos urbanos da região sudeste é de fato coletados e destinados às diversas cooperativas de reciclagem. Apesar da pouca representatividade frente ao potencial ainda disponível, o trabalho desenvolvido pelos Catadores – Agentes Ambientais tem grande relevância social e ambiental, já que tomam a responsabilidade do poder público e, moralmente, de cada um de nós. Entretanto, observamos ainda falta da valorização destes profissionais. A renda gerada por esta atividade ainda é muita pequena, pois, em sua grande maioria, as cooperativas ainda não conseguem vender seus resíduos ao cliente final sem antes passar por um rol de atravessadores, o que tem reduzido e muito a rentabilidade do trabalho dos agentes.

Ação – Buscando trabalhar em rede, dar dignidade e profissionalizar o trabalho desenvolvido pelos Agentes Ambientais – Catadores, em 2010, na região de Moreira César, no município de Pindamonhangaba-SP, nasceu a Cooperativa Moreira César Recicla – MCR.

A cooperativa MCR colabora significativamente com o meio ambiente já que boa parte dos resíduos que iriam parar nos aterros sanitários são coletados, separados, destinados adequadamente e inseridos em novo processo produtivo, tornando-se insumo na fabricação de novos produtos, economizando e evitando a utilização desnecessária de recursos naturais.

Sensível às questões sociais e ambientais, a empresa GERDAU apoia e patrocina desde o início as iniciativas da Cooperativa, provendo não somente recursos materiais, mas apoio técnico, incentivo e estímulo aos seus membros. Recentemente uniu-se ao Instituto IA3, somando esforços para proporcionar qualificação, acompanhamento psicossocial, valorização do trabalho e resgate da autoestima desses agentes ambientais, que tem silenciosamente se dedicado a beneficiar, manter e preservar o meio ambiente.

A Empresa GERDAU, é uma produtora de aço brasileira que possui operações industriais em 14 países. Considerada a maior recicladora da América Latina, transforma anualmente milhões de toneladas de sucata em aço. Por meio  do Comitê do Instituto Gerdau  da usina de Pindamonhangaba, , tem incentivado e apoiado diversas iniciativas socioambientais e de voluntariado entre seus colaboradores no municipio de Pindamonhangaba.

O projeto Cubo Ambiental do Instituto IA3 é uma das iniciativas apoiadas pela GERDAU e possui como foco, além atuar em beneficio e apoio à cooperativa MCR, liderar iniciativas de Conscientização, Educação Ambiental e Mobilização Social nos bairros do entorno da Siderurgica, promovendo o incentivo a atitudes alicerçadas na tríade do desenvolvimento sustentável: Economico, Social e Ambiental, além, de preocupação, cuidados com o Meio Ambiente e Incentivo a Coleta Seletiva.

Todos nós podemos contribuir! Algumas atitudes simples são fundamentais e colaboram grandemente com o trabalho dos Agentes Ambientais – Catadores. Ao descartar o lixo, separe os resíduos secos dos molhados, não misture lixo orgânico com os materiais que podem ser coletados pelos catadores, retire o excesso de alimentos dos materiais descartáveis e sinalize corretamente os materiais cortantes evitando riscos desnecessários aos agentes ambientais. Atitudes simples como estas, dão dignidade, demonstram respeito e zelo para com os Catadores! E você junte-se a nós e faça também a sua parte!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *